Seguidores

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

Substâncias presentes nos alimentos podem causar câncer:


O câncer de mama ainda é a doença que mais assombra as mulheres. De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (INCA), só nos últimos dois anos, foram diagnosticados 49 mil novos casos no Brasil. Entre os fatores que aumentam a chance de ter a doença estão a idade, a radiação, a obesidade, ter filhos após os 35 anos de idade ou nunca ter, ingestão de bebida alcoólica em excesso e exposição excessiva a hormônios, principalmente o xenoestrogênio.

Para quem não sabe, “xeno” significa estranho e “estrogênio” é o hormônio feminino. De acordo com o nutrólogo e membro da Sociedade Brasileira de Alimentos Funcionais, Maximo Asinelli: “Esta é uma substância química que está presente nos alimentos, no ar, na água, nos ecossistemas e nos organismos vivos. Ela é estranha ao nosso organismo, mas possui afinidade com os receptores do hormônio feminino. Ela imita o estrogênio, entra nas células e reproduz um efeito diferente que causa distúrbios e malefícios”.

O grande problema é que quando está no organismo o xenoestrogênio dificilmente é excretado e se acumula nos tecidos gordurosos, no cérebro, no aparelho reprodutor e em vários outros órgãos. Esta substância é gerada pelas indústrias químicas, principalmente pelas petroquímicas, e está presente em plásticos, agrotóxicos, solventes, agentes de branqueamento, refrigerações, medicamentos, produtos de higiene pessoal, produtos de limpeza e muitos outros.

“Ele é capaz de alterar as funções principais dos estrogênios e androgênios, causando alterações no comportamento sexual, depressão imunológica, deformidades genitais, cânceres de mama, ovários, útero, de próstata e testicular, além de problemas neurológicos”, afirma o médico. Maximo aponta ainda que mesmo que os adultos não apresentem nenhum sintoma seus filhos podem ser afetados.

Apesar de tão presente na vida das pessoas é possível diminuir a contaminação do xenoestrogênio. O especialista ressalta que o consumo de alimentos naturais não industrializados ou orgânicos é o ideal, pois possuem menor chance de conter a substância.

“Se os alimentos não forem orgânicos, evite comer a casca e as sementes das frutas e legumes”, recomenda. Além disso, ele sugere evitar o consumo de carne bovina, de frango e ovos oriundos de animais que são alimentados com ração e tratados com antibióticos e hormônios.
Fonte:
http://suadieta.uol.com.br/

Um comentário:

Anne Lieri disse...

Muito interessante e util esse artigo!Bjs,

Related Posts with Thumbnails

Clique na imagem e...